Feliz dia dos namorados

Amor sobre duas rodas

Amor_sobre_duas_rodasAhhh, o amor! Será o amor sobre duas rodas uma "uma flor delicada, mas que é preciso ter coragem de ir colhê-la à beira de um precipício?!" (Sthendal)

O dia dos namorados no Brasil não tem uma origem lá muito romântica. Pela breve pesquisa feita por Garupas descobriu-se que lá pelos idos de 1949, comerciantes paulistanos adotaram a ideia de um dia especial para os namorados, por ser o mês de junho até então, um mês fraco para as vendas. Aproveitaram e encaixaram a data na véspera do dia da morte de Santo Antônio (1195-1231), o famoso santo casamenteiro.

Mas na Europa e América do Norte, esse dia (que em muitos países é comemorado no dia 14 de fevereiro) tem uma "pitadinha a mais de amor" e ou paixão. Por aquelas bandas dizem, São Valentim ou Valentino, foi um santo que viveu no Século III e que descumpria as ordens do imperador de Roma na época, o imperador Claudius, que proibia casamentos durante as guerras, por achar que o amor prejudicava os soldados. Valentino continuou a casar os jovens que o procuravam, e passou à história como padroeiro dos apaixonados. Por sua atividade foi condenado à morte e decapitado no ano de 278.

Garupas também leu por aí que a comemoração ao dia dos namorados, é no entanto, anterior a São Valentino. E que teria se originado na festa romana da Lupercalia (que depois passou a se chamar Februata), homenagem aos deuses Pã (deus da natureza) e Juno (deusa da mulher e do matrimônio). Neste dia, quando a primavera já se aproximava, era organizada uma cerimônia na qual, nas aldeias, os nomes das moças eram colocados em uma caixa de onde cada rapaz retirava um. A sorteada passava a ser a sua namorada – e era por ele cortejada durante os doze meses que se seguiam. Mas também "ouvi dizer" que era tradição/ ritual nesta festa, a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.

Mas os tempos são outros! E então do amor sabemos tudo?! Nada!!! Poderíamos ficar aqui filosofando por horas, pois existem vários conceitos e tipos de amor… E não chegaríamos a uma conclusão.

Mas, motociclistas, garupas e simpatizantes, visitantes deste blog, algo temos em comum e de algumas conclusões podemos comungar. A paixão pelo motociclismo, pelo vento na cara, pela adrenalina, pelas viagens, por fazermos novas amizades…e na minha opinião, especialmente quando esses prazeres são compartilhados com alguém que comunga do mesmo pensamento, melhor!
Costumam dizer que todo dia é dia das mães e que todo dia é dia de muitas coisas, mas todo dia não é dia dos namorados. Não porque alguns optam pela solteirice. Não porque alguns se casam e acham que não vivem mais esta condição! E não por uma porção de coisas que não vou dizer porque vai tirar o foco e objetivo a que me propus escrever. E hoje escrevo para os namorados. Sejam eles de que maneira entendem o namoro!

Assim como nos versos de Sthendal, citado no ínicio do texto, para se relacionar com o motociclismo e assim com os que dele são adeptos, é preciso mesmo ter muita coragem. A delicadeza estaria no companheirismo que por exemplo uma garupa deposita no seu piloto. A delicadeza estaria naquele abraço agarradinho que a garupa dá assim que ele dá partida na moto. A delicadeza estaria na ânsia e no prazer que a garupa tem em conseguir uma bela foto daquele passeio, daquela viagem e poder mostrar a ele depois… A delicadeza pode vir com o tempo e estar em querer ajudar a arrumar o baú e tentar fazer com que todas as suas coisas caibam naquele espaço minúsculo, inimaginável para grande parte das mulheres… E a delicadeza pode vir do piloto em ter a sensibilidade e nos ceder mais um espaçozinho para o batom! 😉 Por que também não dizer que a delicadeza vem no cuidado ao fazer aquela ultrapassagem e desviar daquela cratera evitando assim impacto maior para a sua garupa?! Delicadeza vem da preocupação do piloto com sua garupa se o tempo esfria e ela não está tão bem agasalhada… E é claro, a delicadeza vem tantas coisas… cada qual com a sua visão! 

Dia-dos-namorados

Mas e a coragem?! Às vezes se quer tudo isso, mas não se tem coragem… Coragem de viver experiências de amor, de paixão, de namoro e porque não de um casamento sobre as duas rodas!? E em qualquer relacionamento comparo com as estradas em uma viagem: por vezes um trecho bom, estrada boa… De repente, um trecho esburacado são como as adversidades na vida de quaisquer pessoas que se relacionam… mas uma atenção especial, um pouco mais de cuidado, paciência e esse trecho ruim fica para trás e assim finalmente chegamos ao destino desejado. Até que venha outra viagem, outro passeio e estamos juntos para passar por tudo o que tivermos que passar! Mas para tudo isso, é preciso coragem. E sobretudo delicadeza!  Assim como no amor! Assim como para amar!

A todos os namorados (e seus derivados) que curtem a vida sobre as duas rodas, Garupas deseja um FELIZ DIA DOS NAMORADOS todos os dias e por quaisquer estradas! 

Feliz dia dos namorados
 

Acesse também: http://www.facebook.com/garupas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *