Arquivo da categoria: Motos

Motos marca Honda, Kawasaki, Yamaha, BMW Motorrad, motocicletas, quadriciclos.

Acidente de moto em Campo Grande

Acidente de moto em Campo Grande
Como é depois dos 50 anos?

Fiquei em casa quieto 6 meses, pagando prestação da moto zero. Vendi a BMW Sertão, troquei por Honda Falcon 400 ano 2007, com 1 semana, de uso, troquei por Honda CB 300 ano 2009 e parei os passeios, tranquei os relatos de moto turismo, enfim, não viajei mais, a garupa guardou as roupas de viagem no fundo do alforje, financiamos um apartamento na Caixa Econômica Federal, casamos com uma prestação de R$ 1.700 + R$ 300 de condomínio + R$ 1.600 de IPTU + R$2.000 de cartório e passamos a andar a pé e ainda trocamos a BMW G650GS por uma Honda CB 300 ZERO com pinça de 2 pistões no freio ABS dianteiro e traseiro e  andar só no asfalto de Campo Grande. Olha a foto dela, branquinha, caída no asfalto na faixa de pedestre! Previsão de revisão dos 4.000 Km? Só com 9 meses (andando na cidade) ! Lavar a moto? 1 vez por mês. Comprei pra andar na cidade no lugar do ônibus, Dica de Moto Street! Economia de guerrilha! Muito bem! Fiquei em casa quieto. Sem acidente de moto!

Num sábado de manhã, depois de 7 meses com a moto, resolvi conhecer a loja Helmet de capacetes perto de casa, conhecer a loja de capacetes do Tiago Ferzeli. Subindo a Av. Zahran, sábado de manhã, sempre de calça jeans, nunca uso bermuda, sempre de luvas, saindo pra conhecer a Helmet, super loja de capacetes, resultado: um Corsa sem placa dianteira conseguiu enfiar a rabeta inteira da Honda CB300 entre a roda e o banco da garupa me jogando na faixa de pedestre porque parei no semáforo amarelo! E eu, só pude dar a cambalhota em câmara lenta em cima da minha idade cinquentenária, hehehe! Nem lembrava mais como  cair em acidente de moto!

Acidente de moto CB300R no semáforo da Av. Zahran em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Pausa! Cedo, minha digna garupa que ficou em casa me disse: te amo, mais que tudo, vai dar um passeio, sai, vai rever os amigos, você precisa respirar, se reanimar, essas coisas. Sabe, aquele apoio moral estilo alvará de sábado? hehehe! Sol de Mato Grosso do Sul, lá fui eu levar uma cacetada na pista dupla e fechar o trânsito. O que a gente pensa na hora duma empurrada por trás de moto caindo de cambalhota por cima da faixa de pedestre? Você que etá lendo, pensa! Sábado, alegre, livre pra rodar, te derrubam com um empurram e você beija o asfalto na frente te de todo mundo nu cruzamento! Difícil pensar na hora de um acidente de moto quando lembra o que sua amada desejou um passeio feliz… Veio a vontade de chorar dentro do capacete, uma sensação de frustração, pra quem eu ia ligar? A canela doía, andava com dificuldade até a calçada! Não tenho parentes de Campo Grande! Pensa num acindente de moto sem parentes!!!

Cumprimentamos, piloto e motorista, ele estava desempregado, voltava da entrevista de emprego e tinha acabado de arrumar o para choque porque tinha batido em outro carro recentemente. E o acidente de moto com a Honda CB300 com apenas 3.000 Km rodados de cabeça pra baixo no asfalto ralada. Chamei o corretor de seguros que me acompanha há 5 anos. Franquia de R$ 2.000, não daria pra cobrir.  Passou uma motociclista Brazil Rider parou, ajudou e agilizou contato com o gestor de 2015 da irmandade Brazil Riders em Mato Grosso do Sul.

Enquanto isso, o motorista que causou o acidente ligou pro pastor da igreja dele e antes do Juizado de Trânsito esse pastou chegou e resolveu o B.O. do acidente de moto: Vamos resolver isso antes do Juizado sem motoclube e sem Juizado de Trânsito, topa? Quanto é o prejuízo: eu disse que a moto nova faria orçamento na concessionária Honda, gastando mão de obra pra arrumar enquanto ficaria a pé. Pastor acertou o orçamento, guinchou o Corsa, nosso irmão Brazil Rider chegou com a  carretinha, guinchou a moto e o sol continuou brilhando pra todos nós. Oficializamos o Boletim de ocorrência na viatura do Juizado de Trânsito e aqui estou cheio de hematomas do joelho pra baixo contando pra vocês que:

  • Por mais que faça sol, uso calça comprida;
  • mesmo que seja pertinho, uso luvas de couro;
  • sandália, chinelo, tênis aberto, nunca, sempre uso sapato fechado;
  • até pra ir perto de moto, aviso onde vou, nunca sabemos o que pode acontecer daqui a 5 minutos, porque não tenho parentes em Mato Grosso do Sul, nossa família são as pessoas que convivem no dia a dia, na família ou na irmandade, mesmo que virtualmente num smartphone ou num blog que você está lendo agora! Família é convivência. Parente distante, é saudade cada vez maior e menos presente que fica mais longe a cada semana, se você não regar essa planta, esse familiar, deixa de ser parente, some com o tempo!!! Dê valor a quem está por perto.

Gratidão aos que passaram na avenida, me viram e me ajudaram. Nem colete eu tinha. Motociclista não é feito só de colete, mas de irmandade e pele, sentimento, solidariedade, essas coisas, sabe…
Muita paz e tranquilidade o baiano do Corsa que teve a chance de ter um pastor ajudando por ele.

Passeios de Moto em MS

Estamos de volta aos passeios de moto em MS. Nosso último passeio de moto em 2014 foi em agosto, feriadão numa 3ª feira em Campo Grande com a turma Big Trail da BMW, 2 Kawasaki e 1 Honda CBR600, uma viagem inesquecível de 15 pessoas saindo de Campo Grande, MS até Assunção, Paraguai. Além das motos, 1 camionete de Bandeirantes se juntou na viagem e até trouxe uma das nossas Kawasaki acidentada na volta do Paraguai. Seis meses se passaram, vendi a BMW 650GS Sertão, comprei uma Honda CB300R ABS combinado por motivos econômicos!

Voltando aos passeios de moto em MS, passamos o carnaval 2015 sem gastar nada além da despesa diária de um casal motociclista. Em 2014, nos inscrevemos antecipadamente no Moto Casais em MS, pra viajar em 2015 pelo mototurismo em 3 cidades de Mato Grosso do Sul: Bonito, Jardim e Guia Lopes da Laguna, onde fica a hospedagem mais barata, a 5 km de Jardim. Já participamos do Moto Casais em MS antes, lembram? Levamos a CB300 pra revisão dos 1.000 Km na concessionária Honda em Jardim na 2ª feira de carnaval, voltando na 3ª feira de chuva pra descansar o motor na 4ª feira de cinzas! (risos)

Depois do carnaval com passeios de moto em MS, foi a vez de voltar aos passeios de moto de fim de semana com os amigos das motos big trail e custom. Falo dos amigos que ficaram com suas BMW, já que vendi a BMW, indo pra Honda, mais econômica, a CB300R. E, por acaso, na foto que clicamos, os amigos na BR262, no posto Correntes, onde fica o restaurante Redondo, percebi que a foto tinha 3 motociclistas de BMW e 3 de CBs diferentes da Honda. Coincidência?
Sergio Lampião-CB650, Sônia CB500X, Hilton BMW F800GS marrom dourada, Fernando F800GS Adventure, Eu CB300R e Bruno F800GS marrom dourada.
Sergio Lampião, Sônia da CB, Hilton, Fernando, Eu e BrunoUma turma continuou pra Aquidauana, 40 Km a frente, e nossas BMWs e CBs da Honda de volta a Campo Grande, 100 Km de pista na BR 262. Adrenalina é isso, voltar a pilotar com os amigos e compartilhar no Blog dos MotoTuristas!
Chegamos em Campo Grande e fomos ao Parque dos Poderes, na rua do Poeta tem o “postinho do parque” às 11 horas de domingo, cheio de capacete refrescando com uma Budweiser ou água mineral, depende quem vai pilotar ou quem vai na garupa, claro! No Postinho gerenciado pela amiga Vânia, predominam as Harley-Davidson. O espaço é de todos assim como já brinquei de BMW, hoje ando numa Honda CB300R.
Postinho do Parque dos Poderes Então, estamos de volta ao blog em 2015! Valeu pelo passeio e companhia, pessoal! Quem foi pra Aquidauana… a gente se vê na volta! Semana que vem tem mais publicação no blog.
Comentem sugerindo assuntos…

Tabela FIPE de motos

Tabela FIPE - Ferramenta para compra e venda de motosTabela FIPE de motos.
Ferramenta para compra e venda de motos.

Considerado um órgão importantíssimo, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) é responsável, entre outras coisas, para atuar como uma ferramenta de apoio institucional ao Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da renomada Universidade de São Paulo (USP).

Portanto, vamos apresentar a Tabela FIPE de motos que é uma das mais famosas ferramentas fornecidas por este órgão tão importante, que pode servir para ajudar na compra e também na venda de motos. usadas Vamos conhecê-la!

O que faz a FIPE?

Criada em 1973, a FIPE é um órgão que estuda fenômenos econômicos e também de ordem social, tomando sempre como base o instrumental teórico e também metodológico da Economia, tal como disciplina.

Por este motivo, sua Tabela FIPE de motos é uma das ferramentas mais utilizadas por quem deseja realizar boas compras e também boas vendas de veículos, como por exemplo, as motos usadas.

Como funciona a Tabela FIPE?

Por ser uma ferramenta altamente procurada pelos consumidores de todo o Brasil, a Tabela FIPE de motos é uma ferramenta que também permite que se possam verificar motos, entre outras coisas.

A verificação é feita de modo bem simples, bastando ao usuário acessar a Tabela FIPE de Motos inserir a tabela de referência, que pode a atual (mês atual), ou pode ser outra, como por exemplo, a do mês de janeiro de 2014.

Depois disto, o usuário insere o código FIPE, e depois a marca, o modelo e o ano de fabricação da moto desejada, para que seja realizada a pesquisa, que irá servir de base para que a compra ou a venda de motos usadas seja feita de modo prático e efetivo.

E como o site é extremamente completo, há ainda a possibilidade de fazer verificação de outros modelos, bem como de outras categorias, como carros, caminhões, entre outros.

Portanto, é correto afirmar que a Tabela FIPE de motos é realmente uma das mais importantes e efetivas da atualidade, especialmente para quem deseja realizar boas compras de motos, bem como realizar boas vendas de motos usadas também.

Portanto, se você ainda não conhece a Tabela FIPE de motos, procure acessar o site da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas para visualizar a ferramenta e começar agora mesmo a fazer as suas pesquisas.

Acessar a Tabela FIPE de Motos

 

Motoban, loja do mototurismo

A loja do mototurismo: Motoban é a super dica deste post!

Motoban é uma loja especializada em roupas, acessórios, equipamentos para  mototurismo, cuja loja física fica em Tubarão,SC. Atende aos clientes também por compras pela internet. Conhecemos pessoalmente a Motoban e o seu proprietário Gentil em nossa última viagem para sul. A loja é um encanto, dá vontade de levar tudo kkk e o Gentil faz juz ao nome rsrsrs Resolvi então fazer uma entrevista com o Gentil contando um pouco a história da Motoban e algumas outras curiosidades. Veja!

Garupas: Conte-nos como surgiu a ideia de criar a Motoban.

Gentil: A Motoban surgiu de uma viagem feita em 2005 em que não consegui equipar uma moto para viajar 6.000km e tive que buscar as peças em 4 estados diferentes, daí percebi a falta de uma loja onde eu fosse e pudesse encontrar tudo e preparar a moto e piloto.

Garupas: Há quanto tempo existe a loja?

Gentil: Em 28 de junho são 9 anos no mercado e mais de 6 milhões e 100 mil acessos em nosso site desde então.

Garupas: O que você diria que a diferencia de outras lojas do ramo?

Gentil: Atendimento personalizado e experiência de mais de 20 anos em viagens de moto aconselhando o cliente no que ele realmente precisa independente de nao vender se for o caso.

Garupas: Seu maior público são de compras diretamente na loja ou pela internet?

Gentil: Internet sem dúvida, somos uma referência no internet quando se trata de big trail.

Garupas: Você também é piloto. Conte-nos desde quando pilota e como começou a sua paixão por motos.

Gentil: Sou motociclista desde os 15 anos, primeiro escondido da familia e depois de muitos anos com a torcida deles. Acho que todo motociclista começa na infância de bicicleta e daí a emoção e o vento só aumenta ao longo dos anos.

Garupas: Viajar de moto é sempre bom, passamos por diferentes experiências, mas se você tivesse que escolher uma viagem marcante qual seria ela?

Gentil: Fiz em 1999 uma viagem de moto esportiva de Brasília DF a Montevideo – Uruguai. foram 3.000 km só de ida, entre muita chuva, vento e belas paisagens.

Garupas: Sua esposa te acompanha nas viagens? Qual a diferença de viajar com garupa ou sem garupa?

Gentil: Sim é minha companheira de viagens, ultimamente não por conta de termos um filho pequeno que requer atenção o que impossibilita de viajarmos, mas em breve voltaremos creio que os três a viajar, aguardamos ele ter idade para poder ir na garupa. A pilotagem com garupa é totalmente diferente da solo, o peso e a condução da moto mudam completamente, mas compensam pela companhia, é importante dividir os momentos magníficos que a viagem em moto proporciona.

Garupas: Como piloto daria alguma dica que acha imprescindível para qualquer garupa?

Gentil: A garupa perfeita não é notada na pilotagem: 1º sempre avise quando for subir na moto; 2º não reaja as curvas inclinando o corpo para o lado oposto da curva; 3º carregue sempre menos bagagem do que imagina que vai precisar, pois no final da viagem terão muitas coisas que sequer foram usadas; 4º e última dica:  pague sempre os pedágios, mantenha a moto limpa e nunca reclame da velocidade, brincadeirinha!!!! rs rs rs

Garupas: Alguma informação que queira acrescentar, fique à vontade.

Gentil: Viajar de moto não é como viajar de carro. De moto voce faz parte da paisagem, é um sentimento que o faz andar e o mais importante, não é onde chegar (destino), é o caminho, a maneira que voce viajou (a moto).

Motoban

A loja física da Motoban está localizada em Tubarão,SC, na Av. Exped. José Pedro Coelho 2453 Telefone: 48-3052-4455 Aberto de segunda a sexta das 08.30 as 12.00 das 13.30 as 17.15h (sábado sob agendamento)

Se preferir visite a loja virtual da Motoban!

Curta a página de Garupas no Facebook!

Bagageiro Fazer 600 e afastadores

Bagageiro para moto Fazer 600 Yamaha, suporte em solução artesanal
Bagageiro Fazer 600 e afastadores de alforges: Solução Artesanal

Mesmo sem bagageiro para moto e afastador de alforge, sou um feliz proprietário de uma moto Fazer 600 ou Yamaha FZ6S ano 2006, cuja moto foi descontinuada pela fabricante em 2009, mas que ainda hoje é bastante procurada por motociclistas que necessitam de uma moto robusta para estrada e versátil para a cidade, cujo custo de manutenção é baixíssimo comparada a outros modelos de marca da mesma concessionária.

Pois é, já diz o ditado: quem não tem cão, caça com gato, inspirado nisso, compartilho a minha dificuldade em adquirir um bagageiro e afastadores de alforje para a moto Yamaha FZ6S, propondo uma solução artesanal de baixo custo. A maior dificuldade e a única a meu ver para esse modelo, são que determinadas peças e acessórios, não são encontrados no Brasil, dificultando bastante equipar esse modelo Fazer 600 da Yamaha.

Após garimpar muito na internet atrás de um bagageiro e afastadores de alforje, descobri que a única marca que comercializa é a conhecida GIVI. A minha surpresa não estava apenas nesta particularidade, e sim, no valor destes acessórios, pasmem, senhores; e como base para o meu baú Givi não era compatível teria que trocá-lo, + R$ 191,00;

Suporte Baú Traseiro R$ 620,00
Suporte de Alforje R$ 347,00
Base Baú Fazer 600 R$ 191,00
Total R$ 1.158,00

OBS.: sem contar que o fornecedor é de fora do país, e só teria disponibilidade cerca de 30 dias após o pagamento, e agora Rickão? crying O jeito foi fazer bagageiro e afastadores artesanais com um colega que monta triciclos em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, vejam o resultado com excelente custo beneficio;

Quem precisar, comente abaixo das fotos e passarei o telefone de quem confeccionou essas peças em Campo Grande,MS.
Rickão MotoTuristas

Bagageiro para moto Fazer 600 Yamaha suporte
Bagageiro para moto Fazer 600 Yamaha e afastadores de alforge

 

Acessórios, Peças, Ferramentas

Troquei a Yamaha XT660R pela BMW G 650GS, removi os acessórios. As peças novas e usadas, acessórios e ferramentas estão à venda.

Peças e acessórios usados na Yamaha XT660R:

  • Peça acessório: Baú GIVI cor preta, chave vermelha, capacidade 45 litros armazena 2 capacetes com capa de chuva por R$200 + frete
  • Peça acessório: Cavalete central em aço reforçado, cor preta permite a troca de pneu traseiro ou óleo, mesmo com peso no bagageiro, permite manutenção na estrada por R$ 100 VENDIDO + frete
  • Peça acessório: Suporte de bagagem e Base monolock M5, marca GIVI para baú. A base é a peça chave para acoplar baús GIVI de qualquer tamanho por R$ 200 VENDIDO + frete
  • Peça acessório: Parabrisa ou bolha CRISTAL! Única bolha nacional com 3 regulagens de altura, exclusiva para XT660 medindo 50 cm de altura chegando  a 56 cm acima do farol e 46 cm de largura. Parabrisa ideal para viagens longas, 4,0 mm de espessura. Não precisa furar a moto utiliza as posições já existentes de parafusos, com sustentação nos parafusos das bengalas dianteiras, sua instalação pode ser feita em casamantendo ou não a bolha original por R$ 300 VENDIDO + frete
  • Pneus: 3 câmaras de ar, Michelin e Pirelli, sendo: 1 câmara de ar Michelin AirsStop 17MH 140/70, 130/70, 120/90, USADA com 3 remendos e bico ou válvula nova; 1 câmara de ar Pirelli 70/90-21, 80/90-21, 80/100-21 USADA com 1 remendo; 1 câmara de ar do pneu traseiro XT 660 USADA com1 remendo por R$ 50 VENDIDO + frete

Peças NOVAS da Yamaha XT660R:

  • Coroa dentada original VAZ
  • 4 fusíveis originais
  • 2 velas NGK CRB7 e 8BR8ES
  • 8 lâmpadas Farol H4 Yamaha
  • 7 lâmpadas Pisca amarela Yamaha
  • 2 manetes de metal direita e esquerda

Qual a MELHOR marca de motos no Brasil?

RONDA proibe divulgar marca nos BLOGS60 marcas de motos no Brasil, qual a MELHOR? Depende!
Qual o melhor relacionamento com os motociclistas? Já que as mulheres somam 25% dos motociclistas no Brasil, o cuidado no relacionamento pós venda é ouro para o motociclista.
Mas… pode ou não pode divulgar a marca de sua moto na web? Já que é um relacionamento a dois, digamos de amor à primeira vista entre motociclista e sua máquina, será que todas as marcas permitem divulgar sua marca?
Observe a lista de marcas de motos abaixo e escreva pra gente:
Por que uma “marca de moto japonesa” NÃO aparece na lista abaixo?
Qual a MELHOR marca de motos no Brasil?

Em ordem alfabética, 60 marcas de motos no Brasil:

Falta alguma? RONDA?? Como? De onde?

Moto BMW G650GS

BMW 650GS Mototurismo Brasil Video Riders

Você tem BMW G650GS série F, G, X, Challenge ou Sertão?

  • Você tem moto BMW G650GS série F, G, X, Challenge ou Sertão? Elas são raras no Brasil, mas existem. O editor deste blog tem uma BMW G650GS Sertão 2012 / 2013.
  • Está pesquisando ou quer dicas e avaliações da BMW G650GS?
  • Quer comparar BMW G650GS com BMW G650GS Sertão ou outra moto BMW GS?
  • Quer comprar sua moto BMW Trail? Quer vender sua moto BMW G650GS? Quer trocar pela moto BMW F800GS?
  • Você também pode publicar no Blog dos MotoTuristas a sua experiência!

BMW em alemão: Bayerische Motoren Werke
BMW em português: Fábrica de Motores da Baviera

BIGA | Triciclo para Cadeirantes PNE

No dia do motociclista, 27 de julho de 2011, tive um acidente de moto e quebrei o cotovelo. Fui submetido a cirurgia, meu cotovelo ganhou 2 pinos de platina e um arame de amarração interna. Fotos antes e depois da cirurgia. Agora, com o braço imobilizado e suspenso numa tipoia pendurada no pescoço, não tenho habilidade pra manobrar uma moto até o final do ano. Pensei em testar um triciclo e descobri que em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o  professor de mecânica industrial do SENAI, Oraci Silva da Costa inventou e patenteou o BIGA em 2007. Um triciclo para cadeirantes. E já está lançando o nomvo modelo 2012. As primeiras fotos do novo modelo 2012 sairão aqui no Blog dos MotoTuristas ainda em 2011.

O primeiro triciclo para cadeirante, como surgiu?
“Eu e meu sócio Oraci, gostamos de moto, meu sócio fez o desenho, fizemos um protótipo e o tricilo foi melhorando, até chegar ao que é hoje”, conta o advogado Paulo Tadeu de Barros Mainardi Nagata, sobre o professor de mecânica industrial do Senai, em Mato Grosso do Sul, por 35 anos Oraci Silva da Costa.
Depois, homologaram no DENATRAN – Departamento Nacional de Trânsito, registrando como triciclo Biga. Utilizaram o sistema de freio, sinalização, iluminação, suspensão exigidos por lei. Montaram a fábrica, e usam como forncedor de peças a Honda Biz e Honda Titan. A ignição ou partida é elétrica e o motor, a gasolina. O projeto do triciclo para PNE tem tecnologia de Mecânica Automotiva, Mecânica Motocicleta, Mecânica Geral, Tornearia, Soldas e Conhecimentos de Física em Resistência de Materiais. Aliás, para evitar o recurso do empurraozinho, o sistema de marchas tem até marcha a ré.

Usando o triciclo BIGA:
O cadeirante sentado na cadeira de rodas, sobe a rampa traseira do triciclo, aciona os dois parafusos de segurança que prendem a cadeira ao BIGA, colocado o capacete, é só dar a partida elétrica com a chave e o botão, já o assento é sua própria cadeira de rodas e como demonstra o vídeo abaixo: 

Quer saber mais? Comente abaixo e Oraci responderá pessoalmente.

Harley-Davidson | Curiosidades, Bom Humor

Harley-Davidson Motorcycle
O inventor da motocicleta Harley-Davidson, Arthur Davidson, morreu e foi para o céu. 
Nos portões do céu, São Pedro disse a Arthur:
– Como você foi um homem tão bom e as tuas motocicletas mudaram o mundo, o seu prêmio é que pode se encontrar com quem você quiser.
Arthur Davidson pensou um pouco,depois disse: 
– Eu quero me encontrar com Deus.
 
São Pedro levou Artur Davidson até a sala do trono e o apresentou a Deus. Deus reconheceu Arthur Davidson e disse:
– Então você é o kara que inventou a Motocicleta Harley-Davidson?
Arthur disse: – É, sou eu…
Deus então fez o seguinte comentário:   
– Grande coisa inventar a motoca: tão instável, faz muito barulho e poluição e não pode se locomover sem uma estrada?
Arthur Davidson ficou meio sem jeito, mas finalmente disse:
– Desculpe-me mas não foi você que inventou a mulher?
Deus respondeu: – Sim fui eu
– Bem, disse Arthur Davidson, de profissional para profissional, você também tem grandes defeitos na sua invenção!
Harley-Davidson-Mulher 1. Há muita inconsistencia na suspensão dianteira;
Harley-Davidson Mulher 2. É muito barulhenta e tagarela em altas velocidades;
Harley-Davidson Mulher

3. Na maioria dos casos, a suspensão traseira é muito macia e vibra demais;

 

4. A área de recreação está localizada perto demais da área de reciclagem;

Harley-Davidson Mulher 5. Os custos de manutenção são exorbitantes!!!
Deus ficou pensando, depois disse: 
– Você pode ter bons argumentos, mas espere um pouco. 
Deus foi até o supercomputador celestial, digitou algumas palavras e esperou pela resposta. 
O computador imprimiu a resposta e Deus leu o mesmo: 
– Sim, é verdade que o meu invento tem defeitos, mas de acordo com estes resultados, tem mais homens montados na minha invenção do que na sua!
 
Depois de rir com bom humor, um vídeo de fevereiro de 2011 saudando os executivos da Harley-Davidson nos Estados Unidos aos brasileiros, legendado em português. Os executivos Harleiros são Willy G. Davidson, vice-presidente sênior e diretor-chefe de design e seu filho, Bill Davidson, vice-presidente do Harley-Davidson Museum.
Fonte: Moto.com.br

Acidentes: Álcool? Drogas?

A maioria dos acidentes de moto ou carro, que matam ou sequelam são causados por motoristas que dirigem alcoolizados, sob o efeito de drogas ou com sono. O texto e o vídeo abaixo foram recebidos por e-mail. O autor é a TAC Victoria – Transport Accident Commission – Victoria of Australia.  Faça de tudo para que o maior número possível de pessoas o veja. Republique esse link, espalhe pelo Twitter, Google Buzz, FaceBook, reproduza em seu blog, encaminhe a quem possa compartilhar novamente no Brasil.  Emocionalmente, essas imagens são muito fortes, mas é melhor assisti-las do que vivê-las… Agora!

Nota do autor do vídeo australiano:

Depois de assistir ao vídeo, você vai entender o porquê que 40% dos ingleses deixou de usar drogas e se alcoolizar, pelo menos nas datas comemorativas. O vídeo foi visto por mais de 4 milhões de pessoas até a data de publicação neste blog, só no YouTube, fora em outras mídias. O autor é a  australiana TAC – Transport Accident Commission e a divulgação foi feita por uma das maiores empresas de marketing da Inglaterra. Como não temos este tipo de iniciativa aqui no Brasil, mesmo que você não se alcoolize ou use drogas, assista e passe para os seus contatos este blog.

 

Vídeo: TAC Campaign | 20 year Anniversary "Everybody Hurts" music by REM TV

 

Yamaha TDM Brasil

TDM 850 Ano 2000 Prata

Yamaha TDM Brasil, dicas de proprietários

Troca de informações sobre peças, dicas e ideias, temos uma lista de motociclistas usuários da moto Yamaha TDM Brasil. São proprietários das TDM 225, TDM 850, TDM 900 que deixou de ser importada pela Yamaha do Brasil. Se você é proprietário de uma moto Yamaha TDM, entre em CONTATO para figurar nessa lista de amigos da TDM Yamaha Brasil. Assim, sabemos quem tem a mesma moto, na mesma cidade, no mesmo Estado no Brasil e nos ajudar.
Se você não mora na mesma cidade ou Estado, a distância é o que menos importa pra TDM Yamaha Brasil, até porque, o consumo dela é baixíssimo em relação às big trails e a ausência de trepidação dessa moto em viagem torna o percurso um passeio agradável. Além do mais, esse modelo de moto nas estradas asfaltadas não gera manutenção extra.

 

Lista de proprietários da TDM Yamaha Brasil

Altrão, São Paulo – SP, Fórum TDM Brasil
Bareta, Foz do Iguaçu – PR, Brazil Riders
Carlão, Brasília – DF, Brazil Riders
Carlos Zappa, Campina Grande do Sul – PR, Brazil Riders
Cristina Noskoski, Passo Fundo – RS, Brazil Riders
Fião, Taquaritinga – SP, Brazil Riders, Lesmas Raiders MC
Marco Turci, TDM Roxa 1994, 2RODAS.org, Clube Big Trails
Paulinho Mattioli, Belo Horizonte – MG, Brazil Riders
Turco, Xaxim – SC, Brazil Riders, Perdidos no Asfalto MC
Edson Mesadri, Florianópolis – SC, Brazil Riders
Getulio Bin, Fernandópolis – SP, Brazil Riders, Tribo do Asfalto MC
Gilmar Luedtke, São Leopoldo – RS, Fórum TDM Brasil
Gustavo Clam, Campo Largo – PR, Fórum TDM Brasil
Hanno Spieweck, Rio do Sul – SC, Brazil Riders
Ismael Moura, Americana – SP, Brazil Riders
Nelson Seixas, Porto Alegre – RS, Fórum TDM Brasil

Yamaha TDM 850 e TDM 900

Yamaha TDM 850

Yamaha TDM 850

Yamaha TDM 850, tive desde agosto de 2008, moto estradeira de velocidade máxima 240 Km/h, 2 faróis, tanque 20 litros, estilo Teneré, toda original, mecânica impecável, tinha 81.000 Km no marcador digital. O histórico dela encontra-se disponível na concessionária Yamaha DISMOTO em Campo Grande, MS. Vendi  trocando por outra YAMAHA, a XT 660R ano 2006. No Brasil há quem diga que Yamaha TDM 850 não chega a ser Big Trail por causa dos escapamentos baixos. Mas, na Europa ela até hoje é uma Big Trail admirada como tal. Explico melhor, no Brasil, pra ser Big Trail, tem que ser capaz de atravessar pelo menos um curso de água, rio, alagamento cobrindo as rodas. Aa Yamaha TDM 850 tem os escapamentos na altura das rodas. Diferente da XT 660R da Yamaha ou da Ténéré 600, também da Yamaha que possuem escapamentos inclinados pra cima. Por isso, a mistura de esportiva com trail nunca deu status 100% de Big Trail pra TDM 850 nem pra TDM 900 no Brasil.

Moto Big Trail para mototurismo

Yamaha TDM 850 é tão rápida como uma esportiva mas a posição ao guidão é muito mais confortável e o bom curso de suspensão, derivada de trail, absorve melhor os trancos do caminho. Por isso, é ideal para a prática do mototurismo. A Yamaha começou a importar a Yamaha TDM 850 em outubro de 1997. Mas depois da reestilização de 1996, a TDM 850 e TDM 900 tornaram-se uma das motocicletas mais bonitas da atualidade. Além do motor, que equipou a Yamaha,  vencedora do Rali Paris-Dacar, o destaque da TDM é mesmo o desenho. A moto tem linhas sinuosas bem delineadas. A carenagem parcial une tanque de 20 litros, para brisa e faróis (com cantos espichados para cima). O visual colorido ganha mais destaque por causa das dimensões avantajadas: a TDM é alta (1,28m), comprida (2,17m) e larga (78cm). Se agrada até de longe, nos detalhes, a TDM também dá um banho: a peça que envolve os instrumentos do painel (conta-giros, imita fibra de carbono). Dois dos quatro ganchos para prender bagagem podem ser recolhidos para baixo do banco. Mesmo quando lança um modelo ou promove uma reestilização completa, a montadora costuma utilizar piscas de outras motos: os da TDM são os mesmos das velhas Yamaha FZR 600 e 1000.

Motor e consumo: Mais que visual, porém, o que empolga na TDM é o desempenho: o motor de 80 cavalos a 7.500 rpm e torque de 7,8 mkgf dá agilidade incomum à moto. Segundo a Yamaha, a TDM vai a 207,5 km/h de máxima e leva 4s27 para ir de 0 a 100 km/h. O responsável pelo arranque fantástico é um motor dois cilindros em linha de 849 cc, de cinco válvulas por cilindros, comando duplo e refrigeração líquida. Este motor usa o conceito Yamaha Genesis: com cilindros inclinados a 70º, a Yamaha TDM 850tem dutos de admissão verticais, melhorando a entrada da mistura ar-combustível, e conseqüentemente o desempenho. Durante a avaliação, a média foi de 19 km/l. O tanque tem 20 litros. O motor tem cárter seco: o reservatório de óleo fica na parte superior do propulsor. O sistema de escapamento da TDM tem duas saídas, que se encontram num abafador único, sob a moto, e depois separam-se novamente. Assim como sobe de giro rapidamente ao menor toque no acelerador, a TDM tem também forte freio-motor: basta soltar a mão que a moto desacelera instantaneamente. Além de acelerar bem, a Yamaha TDM 850 tem boa capacidade de frenagem, pelo menos na frente, onde os dois discos dão conta do recado. O disco traseiro é mais fraco. A suspensão dianteira é macia e a traseira, monochoque. O guidão está numa altura que possibilita postura relaxada sobre a moto. Os comandos estão à mão. Da 1ª para 2ª marcha, ouve-se um leve ruído, mas as demais marchas (cinco no total) são macias. A transmissão secundária é por corrente. As rodas de alumínio pintadas de cinza-escuro têm o interior oco, recurso utilizado para economizar peso. A TDM pesa 190 quilos.

Pneus: Os pneus, com banda de rodagem lisa, também estão muito mais para motos de alto desempenho: o dianteiro tem medida 110/80 ZR 18; o traseiro, 170/70 ZR 17. Opção de cores amarela, prata e dourada. Avaliação FIPE: Yamaha TDM 850