Acidente de moto CB300R em Campo Grande Av. Zahran

Acidente de moto em Campo Grande

Acidente de moto em Campo Grande
Como é depois dos 50 anos?

Fiquei em casa quieto 6 meses, pagando prestação da moto zero. Vendi a BMW Sertão, troquei por Honda Falcon 400 ano 2007, com 1 semana, de uso, troquei por Honda CB 300 ano 2009 e parei os passeios, tranquei os relatos de moto turismo, enfim, não viajei mais, a garupa guardou as roupas de viagem no fundo do alforje, financiamos um apartamento na Caixa Econômica Federal, casamos com uma prestação de R$ 1.700 + R$ 300 de condomínio + R$ 1.600 de IPTU + R$2.000 de cartório e passamos a andar a pé e ainda trocamos a BMW G650GS por uma Honda CB 300 ZERO com pinça de 2 pistões no freio ABS dianteiro e traseiro e  andar só no asfalto de Campo Grande. Olha a foto dela, branquinha, caída no asfalto na faixa de pedestre! Previsão de revisão dos 4.000 Km? Só com 9 meses (andando na cidade) ! Lavar a moto? 1 vez por mês. Comprei pra andar na cidade no lugar do ônibus, Dica de Moto Street! Economia de guerrilha! Muito bem! Fiquei em casa quieto. Sem acidente de moto!

Num sábado de manhã, depois de 7 meses com a moto, resolvi conhecer a loja Helmet de capacetes perto de casa, conhecer a loja de capacetes do Tiago Ferzeli. Subindo a Av. Zahran, sábado de manhã, sempre de calça jeans, nunca uso bermuda, sempre de luvas, saindo pra conhecer a Helmet, super loja de capacetes, resultado: um Corsa sem placa dianteira conseguiu enfiar a rabeta inteira da Honda CB300 entre a roda e o banco da garupa me jogando na faixa de pedestre porque parei no semáforo amarelo! E eu, só pude dar a cambalhota em câmara lenta em cima da minha idade cinquentenária, hehehe! Nem lembrava mais como  cair em acidente de moto!

Acidente de moto CB300R no semáforo da Av. Zahran em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Pausa! Cedo, minha digna garupa que ficou em casa me disse: te amo, mais que tudo, vai dar um passeio, sai, vai rever os amigos, você precisa respirar, se reanimar, essas coisas. Sabe, aquele apoio moral estilo alvará de sábado? hehehe! Sol de Mato Grosso do Sul, lá fui eu levar uma cacetada na pista dupla e fechar o trânsito. O que a gente pensa na hora duma empurrada por trás de moto caindo de cambalhota por cima da faixa de pedestre? Você que etá lendo, pensa! Sábado, alegre, livre pra rodar, te derrubam com um empurram e você beija o asfalto na frente te de todo mundo nu cruzamento! Difícil pensar na hora de um acidente de moto quando lembra o que sua amada desejou um passeio feliz… Veio a vontade de chorar dentro do capacete, uma sensação de frustração, pra quem eu ia ligar? A canela doía, andava com dificuldade até a calçada! Não tenho parentes de Campo Grande! Pensa num acindente de moto sem parentes!!!

Cumprimentamos, piloto e motorista, ele estava desempregado, voltava da entrevista de emprego e tinha acabado de arrumar o para choque porque tinha batido em outro carro recentemente. E o acidente de moto com a Honda CB300 com apenas 3.000 Km rodados de cabeça pra baixo no asfalto ralada. Chamei o corretor de seguros que me acompanha há 5 anos. Franquia de R$ 2.000, não daria pra cobrir.  Passou uma motociclista Brazil Rider parou, ajudou e agilizou contato com o gestor de 2015 da irmandade Brazil Riders em Mato Grosso do Sul.

Enquanto isso, o motorista que causou o acidente ligou pro pastor da igreja dele e antes do Juizado de Trânsito esse pastou chegou e resolveu o B.O. do acidente de moto: Vamos resolver isso antes do Juizado sem motoclube e sem Juizado de Trânsito, topa? Quanto é o prejuízo: eu disse que a moto nova faria orçamento na concessionária Honda, gastando mão de obra pra arrumar enquanto ficaria a pé. Pastor acertou o orçamento, guinchou o Corsa, nosso irmão Brazil Rider chegou com a  carretinha, guinchou a moto e o sol continuou brilhando pra todos nós. Oficializamos o Boletim de ocorrência na viatura do Juizado de Trânsito e aqui estou cheio de hematomas do joelho pra baixo contando pra vocês que:

  • Por mais que faça sol, uso calça comprida;
  • mesmo que seja pertinho, uso luvas de couro;
  • sandália, chinelo, tênis aberto, nunca, sempre uso sapato fechado;
  • até pra ir perto de moto, aviso onde vou, nunca sabemos o que pode acontecer daqui a 5 minutos, porque não tenho parentes em Mato Grosso do Sul, nossa família são as pessoas que convivem no dia a dia, na família ou na irmandade, mesmo que virtualmente num smartphone ou num blog que você está lendo agora! Família é convivência. Parente distante, é saudade cada vez maior e menos presente que fica mais longe a cada semana, se você não regar essa planta, esse familiar, deixa de ser parente, some com o tempo!!! Dê valor a quem está por perto.

Gratidão aos que passaram na avenida, me viram e me ajudaram. Nem colete eu tinha. Motociclista não é feito só de colete, mas de irmandade e pele, sentimento, solidariedade, essas coisas, sabe…
Muita paz e tranquilidade o baiano do Corsa que teve a chance de ter um pastor ajudando por ele.

5 ideias sobre “Acidente de moto em Campo Grande”

  1. Oi meu querido amigo, sei bem o que é cair assim em acidente de moto, dá mesmo vontade de chorar… Só me resta desejar melhoras depois de cair no asfalto.

  2. Grande Mano Gargamel.

    Graças ao nosso Pai Maior, foram só os hematomas e os prejuízos materiais.
    Fico feliz em saber que tudo voltará ao normal.
    Abraços….
    Qualquer coisa aqui no Rio de Janeiro, continuo a sua disposição na Ilha do Governador!

  3. É, meu irmão, sabemos como é um acidente de moto em Campo Grande, MS e ainda quando fazemos tudo certo, mas fico muito contente que não foi mais grave com você, que DEUS o abençoe e continue fazendo muitos kms abraço do Roberto Guarani

  4. Graças a Deus foi só um susto. Mas olha “o quanto” um susto nos faz pensar, refletir e valorizar quem está ao nosso lado, às irmandades estradeiras que nem sempre comungam dos mesmos pensamentos, das mesmas metodologias, mas que estão ou deveriam estar sempre prontos para colaborar, ou indicar alguém que possa prestar ajuda em momentos críticos e urgentes, ou mesmo disponibilidade e satisfação em compartilhar momentos sejam eles viagens, encontros, grandes ou pequenos eventos, ações de solidariedade, enfim, a gama de possibilidades é sempre muito grande. Mas acima de tudo, nos faz pensar o quanto somos tão frágeis, e que por isso mesmo o quanto devemos valorizar cada momento da vida. A vida é sopro. Hoje aqui, amanhã não sabemos…. Por isso, TODO CUIDADO consigo mesmo, com seu passageiro ou garupa, bem com os outros atores do tal conturbado trânsito É POUCO!

  5. Esse acidente foi uma fatalidade, devagar, de moto, pertinho de casa.
    Por isto que digo tenho medo e das ruas e não das estradas , nas ruas evito parar no sinal amarelo ainda mais aqui no Espírito Santo – ES onde os motoristas vivem apressadinhos, Só respeitam o amarelo quando tem radar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *