Arquivo da tag: Fotografia

Fotografia, GOPRO, Arte do MotoTurismo

Viajando de moto ao sul do Brasil

Viajando de moto ao sul do Brasil (segundo de 3 relatos)

Praia do Rosa, Pousada Quinta do Bucanero

Pois cá estou eu viajando de moto… Ahhh, viajando de moto e relatando sobre um paraíso na Praia do Rosa em Santa Catarina… Atualizando no espaço e no tempo, em Orleans-SC despedimo-nos do casal Marcos Martins e Guiomar numa quinta-feira e continuamos rumo ao litoral catarinense. A ideia era chegar até Laguna-SC, mas paramos em Tubarão-SC para visitar a MOTOBAN. Você que está lendo este post está viajando de moto e passando por Tubarão?! Faça uma visita você também. A loja é realmente tentadora, produtos funcionais e de altíssima qualidade. Conversando com o Gentil da MOTOBAN, disse que resolveu abrir a loja a partir de uma  viagem que fez, em que precisou recorrer a vários lugares para encontrar o que queria. Pensou em montar uma loja especializada em motociclismo em que se encontrasse de tudo. Pois lá trocamos os 2 pneus da moto, compramos um casaco para o piloto e uma calça para a garupa, fora alguns pequenos acessórios.

Como a troca de pneus demorou, escureceu e achamos por bem pernoitar em Tubarão-SC que espantou-me pela movimentação do trânsito rsrs… É uma cidade dividida ao meio pelo rio Tubarão. Se não estou enganada são 4 ou 5 pontes que dão acesso de um lado ao outro da cidade. Achei pouco! Até encontrarmos um local para dormir rodamos um pouco, pois no primeiro hotel sugerido pelo amigo da MOTOBAN, o Hotel Farol,  não havia leitos disponíveis. Fomos então parar em outro hotel no centro da cidade, o Hotel Acomodare, com acesso pelo calçadão, mas sem estacionamento de fácil localização. Aí já viu a trabalheira de carregar parte das coisas. Mas fora isso um hotel razoável com um café da manhã bem farto e diversificado. Viajando de moto passamos por muitas situações desconfortáveis, porém compensadoras.

SC, Praia do Rosa, Quinta do Bucanero
Praia do Rosa

Sexta-feira partimos então para o litoral e após um estressante congestionamento no BR 101 em Laguna-SC, viajando de moto chegamos a um posto de gasolina em  Imbituba-SC. Não tínhamos rumo e gostaríamos de ficar ou em Garopaba-SC ou na própria Imbituba. O frentista do Posto ALE disse: “tem uma pousada assim, assado onde os motociclistas viajando de moto sempre ficam”. Lá fomos nós atrás do lugar.

Logo na entrada uma casa pequena e um rapaz atendeu dizendo mais ou menos assim: “pode entrar, fica nos fundos”… Pensei, “vou andando” e fiz gestos para o piloto MotoTuristas seguir em frente… Se arrependimento matasse rs…tive que andar cerca de 300 metros com capacete, aquela roupa pesada, sol, viajando de moto…

Lá no fundo paramos em uma espécie de clube, o MotoTurista Gargamel pegou o telefone de parede e teclou algum número. Logo apareceu a Tatiana, uma moça muito simpática indicando-nos onde seria a recepção. Quando minha ficha foi caindo e fui observando melhor o lugar, pensei, meu Deus, aqui é o paraíso! kkk Não tínhamos reservas, e negociação vai, negociação vem e em virtude do Last Minute by Quinta do Bucanero (promoção com tarifas reduzidas) fechamos o fim de semana com a pousada, não resistimos ao lugar. Só viajando de moto tempos a oportunidade de encontrar pedaços do paraíso assim, inesperadamente…

Quinta do Bucanero é uma pousada em frente à Praia do Rosa, em Imbituba. Inaugurado em 1995 o Quinta é roteiro de charme! Lá encontramos conforto, requinte, atendimento excelente, privacidade, decoração rica em detalhes e tudo de muito bom gosto. A missão do hotel é fazer o hóspede feliz e para isso a administração do Quinta pensa em tudo mesmo, assim como bem lembrado no site do hotel:

“É a música no volume certo, as flores sempre belas, o sorriso acolhedor. É o espumante gelado e os bombons antes de dormir. O barquinho atravessando a lagoa, o romance e o tempo sem pressa de passar.”

O Quinta do Bucanero tem tantos serviços e atrativos que ficaria muito extenso colocar todos aqui, por isso apenas para citar alguns:

1) São 10 apartamentos com varanda e vista panorâmica; e outros 02 com hidromassagem. A menor categoria é a de luxo e foi nela que ficamos. Não vimos os demais pois estavam todos ocupados e esse por sorte era o que nos esperava rsrsrs

2) Acesso exclusivo de barco que atravessa a Lagoa do Meio (de água salgada) até beira da Praia do Rosa;

3) Os meninos que nos levam pelo barquinho levam toalhas e montam cadeiras com guarda-sol na praia e se você quiser pode deixar previamente combinado o retorno. Este serviço encerra-se entre 17 e 18 horas, mas se você optar por ficar na praia, eles vão até a praia, recolhem as cadeiras, toalhas, guarda-sol e  existe a opção de se voltar por uma trilha fácil, porém muito bela que eu recomendo também! Ainda na trilha, já próximo aos apartamentos, existe uma ducha maravilhosa que você pode usar para dar uma revigorada, tirar areia, suor ou simplesmente pelo prazer de um banho no meio do verde!

4) O Quinta do Bucanero não aceita menores de 14 anos e acho que é um lugar mais para casais mesmo! É tudo muito romântico e pais teriam dificuldades com crianças pequenas até por conta da geografia do terreno, os espelhos de água, piscinas… enfim, pra mim é lugar para casais mesmo! Ou uma família com filhos já maiores!

5) Eu ficaria aqui por muito tempo ainda citando os serviços do lugar, mas é melhor quem tiver interesse procurar o site da pousada e ver, pois tem até serviços de lua-de-mel, sauna, massagem, enfim, tanta coisa que melhor nem continuar citando! kkk

De julho a novembro a Praia do Rosa vira morada das Baleias Brancas, e contaram-nos que já chegaram a ver cerca de 18 baleias, todas ali na praia. Nossa! Deve ser lindo demais!!! Que tal viajando de moto voltarmos para contemplarmos essas baleias?!…

O Nome Praia do Rosa veio de um pescador seu Dorvalino Manoel da Rosa que acolheu os primeiros surfistas que chegaram na região em 1970, em busca das águas perfeitas para a prática do esporte. Seu Dorvalino passou aos surfistas os valores de preservação, conservação ambiental e dizem que daí veio o nome da Praia do Rosa. Muitos surfistas transformaram suas casas em pousadas, o lugar mantém-se preservado, com suas raízes mas recebe com muito conforto seus turistas.

A Praia do Rosa em Imbituba,SC fica a 90 km do lado sul de Florianópolis e é considerada a capital da Baleia Franca. O centro é muito charmoso e você se sente numa esfera de energia muito boa, algo cósmico, beleza pura…

Por falar em beleza pura fomos a um bar-restaurante com este nome (Beleza Pura) que é super bacana. Na frente dele tem um fusca estacionado cuja pintura combina com a pintura e decoração do estabelecimento. Fizemos um esforço muito grande para sair para a rua na nossa primeira noite no Quinta do Bucanero rsrs, mas fomos ver o que Imbituba tem! Ouvimos uma música ao vivo e comemos um camarão no Beleza Pura. Um lugar que recomendo a todos!!! Adorei!

Viajando de moto pelo Sul do Brasil
Contemplação em Praia do Rosa

Ali pelo centro de Imbituba, por sorte a entrada do Quinta do Bucanero fica bem no cruzamento das duas principais ruas, tem opões de música e restaurante para todos os gostos. Comida japonesa, mineira, italiana, nordestina…E muitas lojinhas de artesanato e souvenirs.

Queríamos descansar, por isso a moto ficou parada de sexta a segunda pela manhã, quando saímos do Quinta do Bucanero rumo a Florianópolis. Ficamos apenas nas dependências do Hotel, Praia do Rosa, trilhas aos arredores e como já citei, no centrinho de Imbituba. Mas Imbituba possui 9 belas praias. Não fomos em nenhuma delas fora a Praia do Rosa, mas fizemos uma trilha e chegamos até perto da Praia da Luz e de onde também se avistava a da Barra de Ibiraquera, caminhando para o lado direito da Praia do Rosa.

O café da manhã no Quinta do Bucaneiro é servido das 08 às 11. Mas se você acordar depois disso, até ao meio dia oferecem o serviço do “café do dorminhoco”. Alguns pratos são preparados na hora, conforme pedido do hóspede a partir de um cardápio diversificado, tais como ovo pochê, omeletes e waffles, dentre outros. E tudo isso com uma vista MARAVILHOSA!

Saíamos a noite e quando voltávamos o quarto estava arrumado e com mimo de boa noite, com chocolates pela cama. Quem disse que viajando de moto não se tem luxo e conforto?! hehehe

Conhecemos Cezar Pegoraro – ou mais conhecido e chamado pelos funcionários do hotel como Bocão – na segunda-feira quando estávamos deixando o hotel. Chegou de carro aquele cara simpático, um gaúcho com pinta de carioca (ou seria de surfista?!) com uma câmera fotográfica acoplada a 2 lentes objetivas em mãos e bateu um papo conosco. Disse que foi motociclista, teve Big Trail BMW, viajou muito pelo Brasil, América Latina de moto, mas deixou o motociclismo depois de lesionar a coluna em um tombo que levou. Pena não o termos conhecido antes porque com certeza deve ter muitas histórias para contar. Ele juntamente com a esposa Jaqueline Biazus dedicam-se realmente a tornar a estadia de cada hóspede uma experiência inesquecível e com gosto de quero mais… rs

Se tudo der certo, em setembro voltaremos para ver as baleias! Viajando de moto, é claro… Visualiza!!! rsrs
Como afirmei anteriormente, dividi a viagem de 15 dias em 3 posts. Viajando de moto, viajando de moto, viajando de moto, viajando de moto SEMPRE…

Somos garupas mototuristas sempre viajando em 2 Rodas

Estrada Parque Palmeiras Piraputanga

viagem a piraputanga pe

Estrada Parque Palmeiras Piraputanga num dia de domingo…
Nossa primeira viagem, passeio do ano.

Desde 2010, o que antes era conhecida como Rodovia Ecológica MS-450, passou a ser denominada Estrada Parque Palmeiras Piraputanga e foi nessa estrada que fomos passear de moto. Saímos em 06 motos e chegamos juntos até o Redondo, restaurante/posto em Palmeiras na BR 262, mas só 04 aventuraram-se pela estrada Parque Palmeiras Piraputanga: 02 BMW, 01 Yamaha e 01 Honda XRE 300. Um passeio que valeu à pena!

Escrever para o Blog dos MotoTuristas, além de um passatempo, serve como um registro e compartilhamento das viagens, dos passeios e encontros com os amantes desta prática, aventura, loucura seja lá como queiram denominar… Afinal, depende muito do ponto de vista do leitor e de quem e como observa o motociclismo. Mas além de tudo isso, sempre me proporciona aprender um pouco mais ou muito mais da geografia do lugar, do modo de viver de uma região, da história de uma cidade, dos mitos, folclore e até da linguística. Linguística? Como assim?! Eu explico. Por exemplo, Piraputanga (distrito de Aquidauana – MS, para onde fomos passear, despertou a minha atenção em saber a origem do nome. Única coisa que eu sabia é que era um peixe! E então, descobri que vem do tupi e quer dizer “peixe avermelhado”. Aí entra a Botânica: atinge no máximo 2,5 kg, é omnívora alimentando-se de peixes, frutos, sementes e outros animais. E até dicas para quem gosta de pescar: melhores lugares para a pesca da Piraputanga são pequenas correntezas, remansos de corixos, embaixo de árvores com frutas ou árvores de pouco e dormida de pássaros, à beira dos rios. Quanto ao nome do distrito em sim, algumas fontes de pesquisa creditaram ao Marechal Rondon que por ocasião da instalação das linhas telegráficas passou por esta região. Não entrarei no mérito da questão, pois este não é foco. Só quis mostrar que quando viajo, viajo longe… rsrsrs

Uma informação a mais sobre a Piraputanga fez-me associá-la ao motociclismo: é um peixe veloz, e justamente devido à sua grande velocidade é considerada um dos peixes mais esportivos do Pantanal… Será que algum grupo já inspirou-se na tão saborosa Piraputanga?! Que tal um grupo de garupas: Garupas Pira!!!

O calor realmente não estava para brincadeira, mas a bela paisagem da vegetação, das formações rochosas, animais, pássaros compensou um certo desconforto que o calor nos causa. Buraquinhos aqui, outros ali, uma pocinha de lama aqui ou ali (havia chovido no dia anterior – aliás, no verão, tem chovido no Estado de MS, quase todos os dias!), passeio bom é quando se pode ir parando para fotografar, apreciar com um pouco mais de cuidado, com o devido respeito que a natureza merece!

Em Piraputanga almoçamos no Pira, um restaurante administrado pela família dos paranaenses Ademir e Elza há aproximadamente 10 anos. Um lugar simples, mas muito aconchegante, a começar pelo atendimento nota 10. Além do peixe na telha, uma das especialidades da casa, até um pavê de limão providenciaram (a meu pedido) para que pudéssemos comemorar com “parabéns pra você” o niver do Gargamel MotoTuristas. Estava tudo realmente perfeito! Só faltou eu ter levado no baú uma bermuda, pois o calor estava realmente escaldante… Mas como disse, nada foi suficiente para ser maior que o prazer de ver uma natureza tão linda assim! Até me sentia numa corrida pelas ruas, ou numa esteira, o tanto que transpirava! Portanto, água é fundamental! Mas nada de levar a garrafinha sobre o baú porque de quase nada adiantará uma água quente… rs

Outra coisa que aprendi nesta viagem: não coloque capacetes no chão, insetos podem entrar nele e dar algum B.O. durante a viagem. Bem, precaução nunca é demais!

Marcaram presença alguns integrantes do Moto Grupo Olhos de Águia de Aquidauana que até lá foram para nos encontrar. Almoçamos juntos, e após um descanso com bate papo gostoso seguimos por mais um trecho pela estrada de chão até uma capela no meio do caminho. De lá retornamos, enquanto a turma Olhos de Águia seguiu para Aquidauana. Mais um trecho de chão, passando pela Pousada do Sol Amarelo até tomarmos o asfalto. Mais uma paradinha no restaurante redondo: adorei o caldo de cana de lá!
Como sempre falo, melhor que falar é mesmo observar. Então, pra você o que conseguimos capturar através de algumas fotos, esse dia tão duplamente especial! Curtam e na próxima, venham conosco!

Saindo de Campo Grande, um céu de brigadeiro
saindo de campo grande

Não é qualquer terrinha que segura esses dois!
raquel e aurican

Juntos até onde for possível, na terra ou no asfalto
irmandade acelerados

Únicas garupas do passeio:
garupas de campo grande

Dá-lhe chão na estrada de terra
estrada de chão

Músicos colombianos tocando música andina no Restaurante Pira!
músicos da Colômbia

Boiadas são comuns pela região de Mato Grosso do Sul
boiada

A vontade que dá é de parar e ficar observando por horas
fauna de MS

Valeu pelo passeio de moto!
irmandade BMW

Garupas fotógrafas, nunca façam isso, a não ser que seja seu próprio capacete!
estrada parque palmeiras piraputanga
Veja mais fotos do passeio na página das Garupas

Mulher, garupa, aspirante fotógrafa

 

Garupa Fotografa Edilene Ruth, Suzuki GSX650F

Mulher, garupa e aspirante a fotógrafa!
Após “bater papo” com as Garupas no post delas sobre ser garupa, eis que nasce essa ideia. Mas continuarei sendo professora! (risos)

Antes de falar de fotos na estrada, preciso dizer que fotos na minha família é algo que permeia o cotidiano desde sempre. Meu avô fotografava, o pai dele era repórter e surgiu na minha geração vários profissionais da comunicação, minha irmã inclusive. Fora esse povo profissional que são meus parentes, há a paixão comum pelo ato de fotografar e ser fotografado presente nessa família. Acredito ter sido, junto com a minha irmã, dos bebês mais fotografados da face da Terra, mãe compulsiva a nossa, cliques infindáveis em uma época em que cada foto custava dinheiro – do filme e da revelação.

Mas eu vim falar de fotografar na estrada de um lugar privilegiado, a garupa. Às vezes fico olhando as fotos várias vezes e penso, “nossa, até que ficaram boas hein??”. Eu penso que tenho sorte, sorte de apertar o botão na hora certa e sorte de mirar a lente no “alvo” – um bom feeling também, já que adoro fotos. Eu não sou profissional, quem me dera… tenho pretensões de ser, não para fazer disso meu ganha pão, mas sim para poder congelar em imagens os momentos que vou vivendo pela estrada e pela vida.

Chega de enrolação e vamos às dicas que prometi. Primeira coisa, você tem que ter uma câmera decente, não precisa ser um equipamento profissional (ainda terei uma), mas uma boa câmera. Eu uso uma câmera Sony Cyber-shot de 14.1 mega pixels. Viram? Nada de extraordinário. Câmera em punhos literalmente, eu a prendo no pulso e no velcro da jaqueta. A próxima coisa importante é o seu piloto e sua relação com ele – como assim?? Assim olha, se não existir sintonia e confiança entre vocês, adeus fotos. A foto mais f*** que tirei, estávamos a 140km/h… fico olhando e imaginando quando vai sair outra daquela. Eu confio plenamente no meu piloto, e de verdade, não ando de moto com quem não conheça ou não sinta confiança. Outro ótimo recurso são os editores de fotos, não falo de Photoshop, falo de programas fáceis. Tem vários disponíveis para download (uso o Picasa e agora o PhotoScape). Às vezes tem asfalto demais para moto de menos, vai lá e corta o que está de sobra, enquadra no editor. Porque enquadramento perfeito em todas as fotos só sendo profissional mesmo. Lembre-se que geralmente você e o objeto fotografado estarão em alta velocidade, junte também a trepidação e o vento.

Mas a melhor receita é: MIRAR E APERTAR!!!! Mirar e apertar infinitamente, afinal não precisamos comprar filmes, e se não ficou bom é só apagar depois. Em um bate e volta até Ribas do Rio Pardo, por exemplo, eu postei em torno de 90 fotos, porém bati mais de 200.

Minha prioridade sempre são AS MOTOS, elas são as protagonistas sempre. O céu, a paisagem e o asfalto sempre são os convidados especiais que ajudam a abrilhantar a festa.