Arquivo da tag: Rodovia do Pacífico

Rodovia do Pacífico é a estrada para o Pacífico ou Interoceânica que liga o Brasil ao Ocano Pacífico.

Rally Dakar Peru Chile Argentina

Dakar 2012 Bandeiras da Argentina, Chile e Peru

Cronograma MotoViagem Rally Dakar 2012

25 dias de 28 de dezembro de 2011 a 21 de janeiro de 2012:
Brasil atravessando os Estados de MS, MT, RO, AC a distância brasileira de 3.300 Km.
2. Peru via Machu Picchu + Titicaca + Rally Dakar: 2.000 Km;
3. Chile via Deserto Atacama: 1.000 Km;
4. Argentina via Chaco Argentino: 1.500 Km;
5. Brasil via Foz do Iguaçu, PR até MS: 700 Km.
Total:. 4 países, 4 estados brasileiros em 1 mês totalizando 8.500 Km.

Brasil ao Peru via Acre em 1 semana

Saindo de moto 4ª feira 28/12/2011 de MS Campo Grande ao MT, até Várzea Grande por 710 km. Dia seguinte, 5ª feira 29/12/2011 de Várzea Grande até Vilhena, a primeira cidade ao sul de Rondônia por 710 km.

Dia seguinte, 6ª feira 30/12/2011, até Ji-Paraná, cidade também em Rondônia por 330 km. Sábado 31/12/2011 de Ji-Paraná, RO, passaria o ano novo de 2012 em casa de amigos Brazil Riders. Domingo 01/01/2012 pilotando até Porto Velho, capital de Rondônia por 380 Km. Pegaria a balsa para a Transamazônica amazonense até a cidade de Humaitá .  Foram 210 Km com a Yamaha XT 660.  Descansei 2ª feira e 3ª feira 03/01/2012 saí da Transamazônica até Vista Alegre do Abunã em Rodônia. Segunda balsa no mesmo dia. Foram 440 Km. Dia seguinte, 4ª feira 04/01/2012 saí de Vista Alegre do Abunã até o Acre nas cidades de Xapuri e Brasileia. Também 440 Km. Comemorando 1 ano acima dos 50 anos, 5ª feira 05/01/2012, saí de Brasileia até o Peru em, Puerto Maldonado uns 460 Km, não estou certo dessa distância. Tive um contratempo… A duração de 9 dias foi alterada em Rio Branco, capital do Acre. A previsão era: Campo Grande, MS
a Puerto Maldonado, cidade peruana, percorrendo 3.220 Km.

Peru ao Chile via TrasnOceânica + Machu Picchu + Rally Dakar em Arequipa

Sairia 6ª feira 06/01/2012 de Puerto Maldonado, a Cusco percorrendo 540 Km. Sábado 07/01/2012 a
3ª feira 10/12/2012 ficaria em Cusco, onde conheci  Norton Red Rats Pub com Genghis, motociclista de Manaus. Na 3ª feira 10/01/2012 saí de Cusco a Puno, no Peru por 390 Km. Conheci o Lago Titicaca e os policiais peruanos 🙂  Na 4ª feira 11/01/2012 a idiea era sair de Puno até Moquegua, também no Peru. Detalhe: Rally Dakar às 5h da manhã. Postei o meu primeiro vídeo sem editar, direto no YouTube. 🙂  4ª feira 11/01/2012 parti de Mocquegua, passei pela fronteira chilena até Iquique a 20 km da fronteira, quase no Oceano Pacífico. Forma 500 Km de aventura.  A ideia inicial era partir de Puerto Maldonado, Madre de Dios, no Peru até Iquique, por 2.000 Km.

Com uma pequena mudança na viagem, em vez de ir a Iquique, fui até Arica, antes de Iquique, mais perto da fronteira peruana. Fiquei em Arica entre 5ª feira 12/01 a sábado 14/01/2012.  No domingo dia 15 de janeiro, saí de Arica até Calama, região norte do Chile. Viajei 680 km de moto sozinho. Conheci um motociclista bombeiro de mina em Calama que me deu hospedagem. Saí no dia seguinte, 2ª feira 16/01/2012 até San Pedro Atacama, por 100 km. Asfalto ótimo.

Chile, Deserto de Atacama

Na manhã de 2ª feira procurei hotel em San Pedro, pois não fiz reserva. Fiquei até 5ª feira dia 19 de janeiro. Visitei vários lugares:
1. Deserto de Atacama
2. Salares Chilenos
3. Valle de la Luna
4. Geiser y Machuca, a cidade de 16 habitantes
5. Laguna Cejar

A partida de San Pedro previa passar pelo Paso de Jama, fronteira argentina onde começa a Ruta 52. Apesar de ter chegado sozinho ao Chile, saí acompanhado de duas motos: conheci o casal Guina Salve de Piracicaba numa Suzuki V-Strom e outro casal, o Marcelo Konga de Manaus na sua BMW F800GS. Fomos até San Salvador de Jujuy, chegamos de noite. Dia seguinte, fomos para  ou Salta, la linda Argentina. Viajamos cerca de 480 km em três motos. Essa viagem de 8 dias no Chile teve um percurso de 1.300 Km.

Argentina ao Brasil via Paraguai

Saímos 6ª feira 20/01/2012 de Salta com destino ao leste argentino viajando pelo norte da Argentina. Um cenário de abandono por 920 km de estradas, com pouco combustível disponível pela YPF que ainda não tinha sido nacionalizada pela presidenta Cristina. No sábado, 21/01/2012 saímos de Formosa que também estava sem gasolina na hora do almoço. Tomei duas horas de sol na fila. Seriam mais 900 Km até minha cidade, mas chegamos em Pedro Juan Caballero debaixo de chuva no Paraguai. Fizemos os trâmites aduaneiros no dia seguinte em Pedro Juan Caballero, cidade dividida por uma avenida com a brasileira Ponta Porã em Mato grosso do Sul. Voltei a Campo Grande e os dois casais seguiram até o oeste paulista. Essa volta da Argentina deu entre 1.820 km e 2.000 km. Não fiz esse registro.

Rodovia do Pacífico Brasil Peru

Rodovia do Pacífico Brasil Peru via Acre

De Mato Grosso do Sul ao Peru via Acre, pela Rodovia do Pacífico:

De Campo Grande-MS,  na Yamaha XT 660. Pelo Brasil, o amigo Iko de Rio Branco, Estado do Acre nos acompanhou desde a Chapada dos Guimarães em Mato Grosso até o Acre, onde ele morava.

Geolocalização: Brasil: MS, MT, RO e AC | Peru: Cusco na ida e Lago Titicaca na volta Chile: Cidade de Arica, a 18 Km do Peru. Projeto final: 9.400 Km de mototurismo em 25 dias.

Objetivo no Peru: percorrer a rodovia Interoceânica até o Oceano Pacífico, explorar pontos turísticos na ida e na volta, conhecer a 4ª Maravilha do Mundo que é o Santuário de Machu Picchu (dados da UNESCO), entre as cidades de Cusco e Águas Calientes no Peru e chegar ao Oceano Pacífico, voltando pelo Lago Titicaca. Viajar para do Peru ao Chile

Objetivo no Brasil: refazer o trajeto que fiz em dezembro de 2005 pelas BRs 163 e 364 entre Mato Grosso do Sul a fronteira peruana no Acre: no carnaval descansar na Chapada dos Guimarães em Mato Grosso, rever a Estrada de Ferro Madeira Mamoré em Abunã, Rondônia, visitar a casa de Chico Mendes em Xapuri no Acre, enfim, além destes pontos turísticos, explorar novas opções que nasceram depois da inauguração da rodovia interoceânica. Viajar do Brasil ao Peru e ou Viajar do Chile e Peru ao Brasil

Observações sobre a Rodovia Interoceânica:

  1. Da Fronteira Brasil-Peru a Puerto Maldonado, são 230 Km até a Ponte Billinghurst sobre o rio Madre de Dios que deverá ficar pronta em abril de 2011.  Essa é a única pendência da “Carretera Interoceânica Sur” no Peru, segundo a Construtora Odebrecht.
  2. A Rodovia Interoceânica tem 1.500 Km no Brasil e no Peru a “Carretera Interoceânica Sur” tem 1.100 Km somando 2.600 Km, atinge na Cordilheira dos Andes 4.800 metros de altitude, passa por 51 povos indígenas peruanos, tem 207 pontes, custou quase 2 bilhões de dólares, empregou 3.800 trabalhadores de setembro de 2005 até 2011 e foi construída pelas construtoras Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão.
  3. A “Carretera Interoceânica Sur” não passa por Machu Picchu, nem Águas Calientes. Machu Picchu está a 80 Km ou 50 milhas a noroeste da cidade de Cusco. Para chegar à Cidade Inca de Machu Picchu a 2.400 metros de altitude há um trem de 4 horas de Cusco a 3.400 metros de altitude até Águas Calientes ou por trilha.  Saúde é o que interessa! Haja trilha!

Mato Grosso do Sul ao Acre, 4 noites em Chapada dos Guimarães, MT

Sábado, dia 5 de março de 2011 viajei com a Yamaha XT660R de Campo Grande, MS até a Chapada dos Guimarães pela BR 163 até Rondonópolis em MT. Ainda não tinha concessionária nessa rodovia. Nem pedágios. Dali passei por estradas menores até chegar na Chapada dos Guimarães. Foram 700 km de asfalto, sem pedágios em 2011.
Passei o carnaval na Chapada. Quarta-feira, dia 9 de março, viajei para Rondônia. 960 km até Pimenta Bueno. Quase 1.000 Km numa estrada quase solitária. Quinta-feira, dia 10, fui até Porto Velho: 510 Km. Final de semana ia viajar para o Acre. Resolvi experimentar a Transamazônica sem ter planejado. Saí de Porto Velho no sábado, dia 12 de março, direto pra Humaitá no Amazonas. Voltei a Porto Velho e viajei mais 500 km até Rio Branco no dia 15.

Dia 15, saí de Humaitá para Rio Branco, capital do Acre. Antes de chegar em Rio Branco… pensei em ir direto até Assis Brasil, quase na fronteira peruana. No dia seguinte, dia 16, cheguei em Assis Brasil depois de 330 km de asfalto. Havia planejado 3.000 km até Assis Brasil. Como fui ali na Transamazônica, rodei bem mais (risos).

A volta do Peru ao Brasil via Acre

A ideia era viajar de moto dia 24 de março, quinta-feira de 2011, 330 km de Assis Brasil até Rio Branco. Depois, ainda no Acre, visitaria até Xapuri conhecer a Fundação Chico Mendes, dali a Porto Velho, daria mais 620 km. Já era mais de 3h da tarde, domingo, dia 27 de março, quando estava a 130 km/hora, distante 100 km de Porto Velho. A corrente da moto arrebentou. Consegui frear até a moto parar no acostamento. Logo outra moto passou e ajudou a remover a moto. Resultado: Dormi em Itapuã do Oeste na casa de um casal motocilista. Segunda-feira, greve de caminhoneiros em Rondônia. Saí dia 30 de março, quarta-feira no meio da tarde. Acho que dormi em Cacoal a 380 km de Itapuã do Oeste. Entrei em MT, Cáceres, pantanal, passei por fora de Cuiabá. Cheguei em Campo Grande sexta-feira ou sábado. Lembro que era o primeiro final de semana de abril! Estava em casa. Essa volta deveria ter 3.000 km. Deu mais (risos).

Referências que busquei antes de viajar:

Entrevistas de Sid Mort, conheci no Clube Big Trails que viajou ao Peru em outubro/2008 , autor do livro “Machu Picchu, uma nova aventura”. Ouvi sua entrevista de 5 minutos à rádio CBN de Campinas de 12/junho/2010.

aos 2 minutos: documentação;
aos 6 minutos: alfândegas;
aos 11 minutos: Polícia Caminera Argentina;
aos 13 minutos: início de altitude em Marcapata, Peru;
aos 17 minutos: utilidade das folhas de coca na viagem.

aos 0 minutos: subida na Carretera Transoceânica Sur;
aos 8 minutos: como é a sensação no deserto;
aos 13 minutos: Machu Picchu;
aos 13 minutos: Clube Big Trail.