Rodovia Transamazonica 2015 Viagem de Moto

Rodovia Transamazônica BR 230 BR 319

Rodovia Transamazônica BR 230 4.100 Km
Lábrea , Amazonas a Marabá, Pará: 2.250 Km
Lábrea, Amazonas a João Pessoa, PB: 4.100 Km

Rodovia Transamazônica é a estrada que liga o Amazonas ao litoral da Paraíba passando por sete Estados: Amazonas, Pará, Maranhão, Tocantins, Ceará, Piauí e Paraíba. A Rodovia Transamazônica deveria cruzar o Brasil do litoral até o Acre, mas a rodovia acaba em Lábrea, cidade no extremo sul do Amazonas, na divisa estadual com o Acre. Construída por militares, o objetivo era interligar a região Norte ao Nordeste do Brasil ocupando a Amazônia e o lema dos militares em 1970 era “Integrar para não entregar”. Foi inaugurada na época da seca, fora do período das chuvas, em 30 de agosto de 1972. Em outubro começam as chuvas e em janeiro fica intransitável até junho. Chove de outubro a abril! Em Lábrea, no Amazonas, a Rodovia Transamazônica recebeu a sigla BR 230 até o litoral. Dali até Manaus, a estrada tem uma bifurcação antes de Humaitá, pela BR 319 que vem de Porto Velho. De Lábrea até Manaus a distância é 850 Km desviando antes de Humaitá.

Rodovia Transamazônica BR 319
Manaus a Lábrea, distância: 852 Km
Manaus a Porto Velho, distância: 888 Km

Quando viajei ao Peru, por Porto Velho, Rondônia, conheci a Rodovia Transamazônica, BR-319 nesse trecho que liga Porto Velho a Humaitá e fui um pouco mais até o desvio entre Lábrea a Manaus. Esse desvio, fica a 33 Km depois de Humaitá.

Rodovia Transamazônica BR319 Manaus, Humaitá, Lábrea

Eu não precisava passar pela Rodovia Transamazônica para ir ao Peru. Como eu estava em Rondônia, já em Porto Velho, vi uma placa regional, bem simples: “Transamazônica” a 2 quadras do Bar do Max que tinha a Yamaha TDM 900 e como Porto Velho ficava ao lado da divisa estadual com o Estado do Amazonas separada pelo rio Madeira… Foram 210 km até Humaitá onde um irmão motociclista, o “Minotauro” me aguardava também de XT660. Conheci na rede social da época: Orkut! No dia seguinte, reforcei as botas no sapateiro da BR 319 pra pegar a Rodovia Transamazônica úmida, chovia sem parar, era a primeira semana de janeiro de 2012. Bota impermeável? Que nada! Olha a sapataria em Humaitá, na BR-319 com asfalto! Esse asfalto acaba 5 km depois de Humaitá indo pra Manaus, logo após o quartel do BIS: Batalhão de Infantaria da Selva.

No dia seguinte, saiu o sol. Peguei a bagagem e fui até o desvio pra Manaus. Um bate e volta. Meu raciocínio:
– Tem sol, quente demais, secou a lama!
– Bota reforçada pra brigar com peso da moto!
– Spray de encher pneu disponíveis e ferramentas!
– ERROS: faltou água mineral e protetor solar!!!
– ERRO MAIOR: bagagem alta na extremidade da moto!

Transamazônica BR319 Manaus BR230 Marabá

Viajando em 2015 pela Rodovia Transamazônica

Nosso irmão Bressan do Motogrupo El Bando saiu de Brasília dia 24 de setembro de 2015 numa Royal Enfield Classic 500 para a Rodovia Transamazônica. Sim, as 2 estradas: BR319 e BR230 e ainda as BR163, BR070 e BR010.
Acompanhe onde está o Bressan nessa página!
Rodovia Transamazonica 2015 Viagem de Moto

3 ideias sobre “Rodovia Transamazônica BR 230 BR 319”

  1. Acompanhando a viagem de moto do Bressan do Motogrupo El Bando, vi que ele já está em Altamira, Pará, fez 50 km de asfalto noite adentro vindo de Anapu, cidade do interior paraense. Daqui pra frente são quase 2.000 Km de terra e asfalto envelhecido igual whisky. Cuidado ⚠ Boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *