Rally Dakar 2012 Bandeiras Argentina Chile Peru

Rally Dakar Peru Chile Argentina

Dakar 2012 Bandeiras da Argentina, Chile e Peru

Cronograma MotoViagem Rally Dakar 2012

25 dias de 28 de dezembro de 2011 a 21 de janeiro de 2012:
Brasil atravessando os Estados de MS, MT, RO, AC a distância brasileira de 3.300 Km.
2. Peru via Machu Picchu + Titicaca + Rally Dakar: 2.000 Km;
3. Chile via Deserto Atacama: 1.000 Km;
4. Argentina via Chaco Argentino: 1.500 Km;
5. Brasil via Foz do Iguaçu, PR até MS: 700 Km.
Total:. 4 países, 4 estados brasileiros em 1 mês totalizando 8.500 Km.

Brasil ao Peru via Acre em 1 semana

Saindo de moto 4ª feira 28/12/2011 de MS Campo Grande ao MT, até Várzea Grande por 710 km. Dia seguinte, 5ª feira 29/12/2011 de Várzea Grande até Vilhena, a primeira cidade ao sul de Rondônia por 710 km.

Dia seguinte, 6ª feira 30/12/2011, até Ji-Paraná, cidade também em Rondônia por 330 km. Sábado 31/12/2011 de Ji-Paraná, RO, passaria o ano novo de 2012 em casa de amigos Brazil Riders. Domingo 01/01/2012 pilotando até Porto Velho, capital de Rondônia por 380 Km. Pegaria a balsa para a Transamazônica amazonense até a cidade de Humaitá .  Foram 210 Km com a Yamaha XT 660.  Descansei 2ª feira e 3ª feira 03/01/2012 saí da Transamazônica até Vista Alegre do Abunã em Rodônia. Segunda balsa no mesmo dia. Foram 440 Km. Dia seguinte, 4ª feira 04/01/2012 saí de Vista Alegre do Abunã até o Acre nas cidades de Xapuri e Brasileia. Também 440 Km. Comemorando 1 ano acima dos 50 anos, 5ª feira 05/01/2012, saí de Brasileia até o Peru em, Puerto Maldonado uns 460 Km, não estou certo dessa distância. Tive um contratempo… A duração de 9 dias foi alterada em Rio Branco, capital do Acre. A previsão era: Campo Grande, MS
a Puerto Maldonado, cidade peruana, percorrendo 3.220 Km.

Peru ao Chile via TrasnOceânica + Machu Picchu + Rally Dakar em Arequipa

Sairia 6ª feira 06/01/2012 de Puerto Maldonado, a Cusco percorrendo 540 Km. Sábado 07/01/2012 a
3ª feira 10/12/2012 ficaria em Cusco, onde conheci  Norton Red Rats Pub com Genghis, motociclista de Manaus. Na 3ª feira 10/01/2012 saí de Cusco a Puno, no Peru por 390 Km. Conheci o Lago Titicaca e os policiais peruanos 🙂  Na 4ª feira 11/01/2012 a idiea era sair de Puno até Moquegua, também no Peru. Detalhe: Rally Dakar às 5h da manhã. Postei o meu primeiro vídeo sem editar, direto no YouTube. 🙂  4ª feira 11/01/2012 parti de Mocquegua, passei pela fronteira chilena até Iquique a 20 km da fronteira, quase no Oceano Pacífico. Forma 500 Km de aventura.  A ideia inicial era partir de Puerto Maldonado, Madre de Dios, no Peru até Iquique, por 2.000 Km.

Com uma pequena mudança na viagem, em vez de ir a Iquique, fui até Arica, antes de Iquique, mais perto da fronteira peruana. Fiquei em Arica entre 5ª feira 12/01 a sábado 14/01/2012.  No domingo dia 15 de janeiro, saí de Arica até Calama, região norte do Chile. Viajei 680 km de moto sozinho. Conheci um motociclista bombeiro de mina em Calama que me deu hospedagem. Saí no dia seguinte, 2ª feira 16/01/2012 até San Pedro Atacama, por 100 km. Asfalto ótimo.

Chile, Deserto de Atacama

Na manhã de 2ª feira procurei hotel em San Pedro, pois não fiz reserva. Fiquei até 5ª feira dia 19 de janeiro. Visitei vários lugares:
1. Deserto de Atacama
2. Salares Chilenos
3. Valle de la Luna
4. Geiser y Machuca, a cidade de 16 habitantes
5. Laguna Cejar

A partida de San Pedro previa passar pelo Paso de Jama, fronteira argentina onde começa a Ruta 52. Apesar de ter chegado sozinho ao Chile, saí acompanhado de duas motos: conheci o casal Guina Salve de Piracicaba numa Suzuki V-Strom e outro casal, o Marcelo Konga de Manaus na sua BMW F800GS. Fomos até San Salvador de Jujuy, chegamos de noite. Dia seguinte, fomos para  ou Salta, la linda Argentina. Viajamos cerca de 480 km em três motos. Essa viagem de 8 dias no Chile teve um percurso de 1.300 Km.

Argentina ao Brasil via Paraguai

Saímos 6ª feira 20/01/2012 de Salta com destino ao leste argentino viajando pelo norte da Argentina. Um cenário de abandono por 920 km de estradas, com pouco combustível disponível pela YPF que ainda não tinha sido nacionalizada pela presidenta Cristina. No sábado, 21/01/2012 saímos de Formosa que também estava sem gasolina na hora do almoço. Tomei duas horas de sol na fila. Seriam mais 900 Km até minha cidade, mas chegamos em Pedro Juan Caballero debaixo de chuva no Paraguai. Fizemos os trâmites aduaneiros no dia seguinte em Pedro Juan Caballero, cidade dividida por uma avenida com a brasileira Ponta Porã em Mato grosso do Sul. Voltei a Campo Grande e os dois casais seguiram até o oeste paulista. Essa volta da Argentina deu entre 1.820 km e 2.000 km. Não fiz esse registro.

18 ideias sobre “Rally Dakar Peru Chile Argentina”

  1. Parabéns pela trip. Aconselho sairem bem cedo de Puerto Maldonado para Cusco, pois são 480 km, mas a viagem é de no mínimo 12 horas, com muitas curvas e belas paisagens pra tirar fotos.
    Cuidem com o vento lateral, pois nas cuestas ele pode bater dos dois lados, podendo gerar acidente e evitem viajar a noite.
    No mais. Curtam muito, tirem muitas fotos, conheçam pessoas, comidas e culturas.
    É um enorme prazer acompanhar vcs.

  2. Isso mesmo, Moto Turistas, divirta-se bastante e aproveite o trajeto é SUPER LEGAL !!!
    Se precisar de alguma dica, ainda tenho uns bilhetes de anotações de um amigo de Campo Grande. Se quiser faço um xerox. KKKKKK
    Sapecado abraço dos irmãos do Paraná !!!
    Nelson e Leonardo Sapecados!

  3. Gargamel:
    Esse tem sido um roteiro especial (Interoceânica) para os motociclistas que apreciam grandes viagens. Estou surpreso que haverá pedágio. Não sabia. Saudades da Cabaña Quinta onde nos hospedamos em 2002. Agora em 2011 estava lotada.   Siga com Deus !

  4. Gargamel: Beleza de viagem. Estamos acompanhando e agora seguindo oficialmente no Blog.
     
    P.S. Não tenho dicas de hotel conforme seu recado no Mural, mas o Johnny criou um tópico no Forum acerca disso. Se não tem, quem sabe o amigo vai adicionando as suas no decorrer dessa viagem ?
    Siga com Deus, se cuide aproveite tudo no caminho !

  5. Cícero Paes, 
    na verdade, entre Cusco e Puno já funcionam 3 pedágios, mas moto AINDA não paga.

    Entre Puno e Moquegua, tem mais um pedágio funcionando em TORATA, 25km antes de Moquegua. Os outros pedágios entre Cusco e Puerto Maldonado, estão quase prontos e funcionarão ainda neste semestre de 2012.
    Boas Estradas ao amigo escritor!

  6. Olá pessoal, boa viagem.
    Vejo que estão perto de entrar na Argentina e há alguma dúvida sobre San Salvador de Jujuy e Salta. Por experiência própria fujam de Jujuy, cidade feia e decadente, Salta ao contrário é tudo de bom.
    Abraços

  7. Sou de Brasília e fiz em setembro/2011 uma ida e volta até Atacama, agora planejo fazer este percurso de vocês ao contrário, aguardo relato da viagem
    Abraços

  8. Gargamel, meu experiente motociclista amigo!!!  
    Me diga uma coisa, de Assis Brasil no ACRE até Puerto Maldonado no Peru tem asfalto??????????????????????

    Alex XT660Z Ténéré

  9. Off Course, Alex, além do asfalto, já tem vários pedágios também, o asfalto está pronto desde 2010. O pedágio foi inaugurado em 2012. Nas rodovias pro Lago Titicaca, não me cobraram pedágio, passei direto. Espero ter ajudado!

  10. Gargamel, buenas!!!
    Por que neste trecho de Ji-Parana, RONDÔNIA e Puerto Maldonado, PERU, vc fez baixa quilometragens diárias? Seria por causa das condições da estrada ou pelos atrativos turisticos da região?

    Domingo 01/01/2012 RO Ji-Paraná RO Porto Velho 380 Km
    Domingo 01/01/2012 RO Porto Velho AM Humaitá Transamazônica 210 Km

    3ª feira 03/01/2012 AM Humaitá Transamazônica RO Vista Alegre do Abunã 440 Km
    4ª feira 04/01/2012 RO Vista Alegre do Abunã AC Xapuri e AC Brasileia 440 Km
    5ª feira 05/01/2012 AC Brasileia PERU, Puerto Maldonado 460 Km

  11. Alexandre Caldeira, que bom q observou um detalhe “oculto”:

    Formatei sua mensagem em cor veremlho e negrito pra todos entenderem melhor. O planejamento não tem detalhes como:

    Domingo foi assim:

    1. Tempo de espera pra balsa depois de Porto Velho e voltando da Transamazônica;
    2. 210 Km entre Porto Velho e Transamazônica sem posto de combustível, dei 100 Km/h;
    3. Nos 210 Km não sabia se algum animal cruza a rodovia, daí a velocidade: 100 Km/h;

    3ª feira: aguardar balsa na volta pra Rondônia, depois de ter tocado 30 Km pela Transamazônica e ter levado um tombo na lama;
    4ª feira: em Xapuri gasta-se 1 hora pra entrar na cidade, estacionar, fotografar a fábrica de camisinhas e a vida de Chico Mendes e retornar à BR364 para Rio Branco. A cidade tem ruas de pedra e a velocidade é de perímetro urbano em ruas estreitas;
    5ª feira: Não computei o tempo da aduana e a travessia de animais na rodovia na Amazônia peruana e a pesquisa por gasolina nas casas à beira da transoceânica ou rodovia do Pacífico;

    OBS.: Checklist pra fotografar na estrada:

    1. Estacionar a moto e desligar a moto;
    2. Retirar óculos, luvas, capacete e plástico que protege câmera da chuva e casaco;
    3. Descer da moto, procurar melhores ângulos e clicar depois de passar os caminhões;
    4. Guardar no plástico contra chuvas, fechar casaco, reporcapacete, óculos, luvas;
    5. Subir, ligar a ignição e voltar pra rodovia com segurança.

    Arrebentei corrente dessa XT660 nessa rodovia em março de 2011.

  12. Gargamel, bom dia!
    Primeiramente gostaria de parabenizar o parceiro pela viagem, no afan da leitura e com a impolgalção em saber detalhes acabei esquecendo. É muitos prazeiros acompanham relatos sobre uma viagem tão interessante com esta, é como se nós todos estivéssesmos vendo um preview de um grande filme que será lançado em breve. hehehehe
    Ainda sobre o roteiro, imaginei que houve algo extra que fez com a viagem não fluísse como nos dias anteriores. Importante saber estes detalhes para que se possa programar melhor o cronograma. São acontecimentos que não se espera e somente observações com essas podem remediar esses imprevistos.
    A respeito de abastecimento até Brasileia/AC e depois até Porto Maldonado-PE como foi? Tudo tranquilo ou houve necessidade de usar bidon e/ou abastecimento em postos caseiros "alternativos"?
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *